Trabalhar e estudar no Reino Unido: o que muda com o Brexit?

BrexitA 31 de dezembro de 2020 irá terminar a livre circulação entre o Reino Unido e a União Europeia e a partir de 1 de janeiro de 2021, o Reino Unido terá em vigor um novo sistema de imigração, que trata igualmente os cidadãos da União Europeia (UE) e dos países não pertencentes à UE.

Com o novo sistema de imigração por pontos, haverá novas regras para a obtenção de vistos de trabalhador e estudante.

Os trabalhadores qualificados poderão candidatar-se a um visto se cumprirem vários requisitos:

  • tem uma oferta de emprego de uma empresa com licença de responsabilização concedida pelo Home Office (Ministério da Administração Interna). O empregador com licença de responsabilização deverá pagar um salário mínimo relevante ;
  • Domínio do Inglês ao nível intermédio B1 (do Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas).

Os estudantes que necessitem de obter um visto terão de preencher as seguintes condições:

  • teve a oferta de uma vaga num curso de uma instituição com licença de responsabilização relativa a estudantes concedida pelo Ministério da Administração Interna;
  • domínio da língua Inglesa;
  • ter meios suficientes para se sustentar e pagar o seu curso.

Há ainda vistos para licenciados que tenham obtido um diploma de licenciatura a nível de bacharelato ou superior no Reino Unido. O Graduate visa permitirá ficar a trabalhar no Reino Unido ou procurar trabalho por um período máximo de 2 anos (3 anos para estudantes de doutoramento), após a conclusão dos estudos.

Para os cidadãos da UE que se encontram a residir no Reino Unido a 31 de dezembro de 2020, podem, juntamente com a sua família, requerer o Estatuto de Residente no Reino Unido para cidadãos da UE, sendo a data limite para apresentar o requerimento 30 de junho de 2021.

Consultar todas as informações em: gov.uk/guidance/the-uks-points-based-immigration-system-information-for-eu-citizens.pt

UA-40534803-1